14 de abril de 2017

Conheça um pouco mais sobre a Tilápia do Nilo







Nome Popular: Tilápia do Nilo
Família: Cichlidae (Ciclídeos)
Origem: África, introduzido em inúmeros países pelo mundo todo
Tamanho Adulto: 60 cm (comum: 40 cm)
Expectativa de Vida: 10 anos
Temperamento: comportamento Temperatura: 14°C a 33°C
PH: 6.0 a 8.6 – Dureza: indiferente
Visão Geral

Sua distribuição ocorre naturalmente em rios costeiros de Israel, na bacia do Nilo (incluindo Lagos Albert, Edward e Tana), Jebel Marra, Lago Kivu, Tanganyika, rio Awash, entre outros inúmeros lagos etíopes, além da bacia do rio Omo. Na África Ocidental sua distribuição abrange as bacias do Senegal, Gâmbia, Volta, Benue e Chad.

Amplamente introduzido em todos os continentes (exceto Ártico) para fins da aquicultura, estando sem segundo lugar, atrás apenas das Carpas, causando sérios impactos ecológicos negativos após sua introdução.


As seguintes subespécies foram previamente reconhecidas: Oreochromis niloticus baringoensis, Oreochromis niloticus cancellatus, Oreochromis niloticus eduardianus, Oreochromis niloticus filoa, Oreochromis niloticus niloticus, Oreochromis niloticus sugutae, Oreohromis niloticus tana e Oreohromis niloticus vulcani.

Encontrado em uma grande variedade de habitats de água doce como rios, lagos, canais de esgotos e canais de irrigação, estando presente em quase todas as grandes e médias bacias hidrográficas do Brasil. Talvez seja o ciclídeo mais comum em águas continentais no país. Ocasionalmente podem frequentar água salobra.

Foi introduzida no Brasil em 1971 juntamente com Sarotherodon hornorum ou tilápia-de-zanzibar. Anteriormente, em 1952, outra espécie de tilápia foi introduzida, a Tilápia-do-Congo (Tilapia rendalli) de habito alimentar herbívoro, que não se mostrou atraente a piscicultura, acabou virando praga em algumas áreas, e esta sendo substituída pela tilápia-do-nilo que apresenta melhores resultados. Existe ainda uma variedade desenvolvida em Israel, “Saint-Peters”, ou Tilápia Vermelha, derivada de Oreochromis niloticus, que atualmente vem sendo cultivada, podendo chegar até 5 kg.


Existem vários motivos para a sua disseminação planetária: tem potencial para o cultivo, se adapta facilmente a qualquer ambiente (inclusive a baixos níveis de oxigênio na água), e é resistente até as altas temperaturas. Possui forte propensão a virar praga, somando-se as suas características já inerentes e a competição que estabelece com espécies nativas por comida e espaço.

O nome tilápia do nilo tem a ver com o seu continente de origem, a África, e o rio que corta quase toda a extensão do continente, do Sul ao Norte, até desaguar no mediterrâneo (já no Egito). Tanto que ilustrações arqueológicas em tumbas egípcias sugerem que este peixe já era cultivado há mais de três mil anos.

De coloração azulada ou acinzentada, que pode apresentar variação de tonalidade, tem também algumas listras claras e escuras. Os machos são extremamente territorialistas e costumam nadar em cardumes (sobretudo quando alevinos e jovens).
Leia Também: Dicas para pescar Tilapias

Nenhum comentário:

Postar um comentário