Aprenda tudo para pescar corvina




Nosso amigo Pescador de Plantão Leandro



A Corvina é um peixe muito popular e pode ser considerado um dos grandes troféus da pesca de praia no Brasil. Podemos praticar essa pescaria durante todo o ano e não é rara a ocorrência de exemplares acima dos dois quilos. Sua popularidade vem do fato de ser um peixe muito saboroso o que acabou lhe tornando um grande alvo da pesca comercial, que minimiza cada vez mais o estoque deste peixe. Confira dicas de pesca e conheça mais sobre essa espécie que briga muito e não se entrega fácil.


A corvina pode viver até oito anos. Seus predadores incluem robalo, tubarão, e até outras corvinas. A corvina não devem ser consumidos crus, pois eles podem passar trematodes (parasitas) para os seres humanos. A corvina prefere viver em baías durante a primavera e verão, em seguida viajam pelo mar, para se reproduzirem no outono. 



Descriçao 

Peixe de escamas; coloração prata azulada; boca oblíqua, com um grande número de dentes recurvados e pontiagudos. Possui dentes na faringe e a parte anterior dos arcos branquiais apresenta projeções afiadas com a margem interna denteada. A família é principalmente marinha, mas possui vários representantes na água doce, sendo o gênero Plagioscion o mais comum. Alcança mais de 50cm de comprimento total.

Equipamentos para Pesca

O equipamento mais indicado é o de varas de ação leve e média. Linhas de 10 a 20 libras, anzóis de nº 1/0 a 4/0. O chumbo oliva é muito empregado na pesca de canal e nos manguezais.

Não é necessário o uso de empates (a não ser que o local esteja repleto de baiacus).
Ocasionalmente, podem ser capturadas com plugs de meia água e jigs.







Iscas 

Em sua captura é empregado preferencialmente iscas naturais, especialmente Camarão vivo ou morto, Tatuí, pedaços de moluscos, Caranguejo e Minhoca, nos manguezais. Hoje em dia se consegue ferrar as Corvinas com iscas artificiais como metais jigs de 15 a 25 gramas e até 7 cm, plugs de meia água e jigs.


Dicas de Pesca 

A Corvina costuma frequentar certas regiões conhecidas dos pescadores. Como são peixes “gulosos”, colocar bastante isca no anzol pode atrair as corvinas com mais facilidade. Opte pelas iscas de camarão e sardinha, que devem ser oferecidas com “generosidade”.

Os maiores indivíduos costumam ser pescados à noite em poços profundos. Como muitas vezes o cardume está no fundo, a fisgada tem que ser firme para o peixe não escapar.

Prefira a pesca embarcada ou de praia, sempre com o chumbo encostado no fundo. Na pesca de arremesso da praia, amarre bem a isca. As praias fundas, com águas escuras e um pouco frias são as ideais. A maior incidência de corvinas nas beiras de praia é durante o inverno.

É importante verificar as luas e marés do dia de pescaria. Em locais com muita correnteza, ou em dias de luas cheia e nova em baías e estuários, as corvinas comem melhor nos repontos das marés. Já nas luas minguante e crescente, com pouca influência de marés, há maiores chances de se pescar mais ao longo do dia. Marés muito paradas não são boas para esta espécie. .




 

Ecologia 

Espécie de fundo e meia água, sedentária, que forma grandes cardumes na porção central de lagos, lagoas e reservatórios. Alimenta-se de pequenos peixes e camarões. As corvinas são muito apreciadas pela carne branca e delicada, sendo que Plagioscion squamosissimus, a espécie mais comum, tem grande importância comercial na Amazônia.



Comentários