28 de janeiro de 2017

7 toneladas de peixes a menos nos rios do MT e mais de 15 mil pessoas abordadas durante a Piracema






Antes do final da Piracema o estado do Mato Grosso apreende 160% a mais de pescados nos mesmo período do ano passado.

7 toneladas de pescado irregular nos primeiros três meses de piracema. Essa quantidade é 160% superior à do período de proibição da pesca 2015- 2016, quando foram apreendidos 2,6 toneladas de peixes. As multas chegaram a R$ 563 mil. A conta deve aumentar, já que não foram contabilizados os dados de janeiro.

Vale destacar que pela primeira vez o estado alterou o calendário de proibição da pesca. Ao contrário de outros anos e também de outros estados, o defeso começou em 1º de outubro do ano passado e termina no próximo dia 31 de janeiro.



De acordo com o balanço parcial feito pela Superintendência de Fiscalização da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e pela Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA), das 7 toneladas de pescado apreendidas, 1.632 kg foram capturados pela equipe de fiscalização da Sema e 5.448 kg pelo batalhão.

Foram abordadas e orientadas 15.590 pessoas, vistoriados 2.314 veículos e 38 embarcações, além da aplicação de 185 autos de infração envolvendo diferentes produtos proibidos, como rede (382), tarrafa (131), barco (71), vara de pescar (103), molinete (123), motor de popa (2), freezer (2) e espinhel (159).

“Mesmo com o fim do período proibitivo no dia 31, a população deve estar consciente de que a legislação da pesca traz inúmeras regras para os pescadores profissionais e amadores em Mato Grosso”, afirma o coordenador interino de fiscalização de Fauna e Flora da Sema, Fabiano Santos Bernini.


A legislação vigente impõe que quem desrespeita a piracema pode ter o pescado e os equipamentos apreendidos, além da multa, que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilo de peixe encontrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário