7 de setembro de 2016

Como Homologar um recorde de Pesca na IGFA



Pegar um troféu, um recorde, é o sonho de quase todos os pescadores esportivos.
Mas como homologar este recorde e torna lo oficial ?

Não basta apenas pegar o Troféu, se você quer tornar um recorde mundial seja em tamanho ou peso, existem algumas etapas a serem seguidas. O órgão que regulamenta os recordes mundiais na pesca esportiva é o IGFA, com sede em Miami (EUA).

Como se trata de um processo que provavelmente será analisado há muitas milhas de distância do local de captura e não podemos estar juntos para explicar como tudo aconteceu, a dica é coletar o máximo de informações possível. Filme toda a pescaria a briga antes de tirar o peixe da água, e na sequencia a retirada do peixe da água e sua pesagem e tirada de medidas do mesmo.


Tenha testemunhas durante o vídeo e tira o Máximo de fotos possíveis do peixe de todos os ângulos para que não fique duvida sobre a espécie.

O processo de pesagem e medição NÃO devem ser feitos embarcados, e sim, em terra, Se possível envie este material para um biólogo solicitando um laudo em inglês, informando que o peixe é da espécie da qual se pleiteia o recorde mundial.

Se o recorde for em medida, a régua tem que ser a homologada e vendida pelo IGFA,  se for um recorde de peso, providencie muitas balanças para pesagem, preferencialmente balanças digitais
(bogas e balanças verticais são muito difíceis de serem homologadas), após, procure um órgão credenciado pelo INMETRO para aferição da balança e exija um laudo em inglês, tirando fotos da balança com o selo de aferição.

Como a aferição só é feita após a soltura do peixe, deve-se encontrar maneiras de provar que o peixe foi realmente pesado na mesma balança que posteriormente foi aferida, a dica é fazer um filme da pesagem mostrando durante o processo o número de série da balança.

Outra dica importante é entrar em contato com todas as testemunhas que presenciaram a captura, a pesagem e a soltura e peça que enviem para você um e-mail informando isso (em inglês).



Após esta bateria de foto e filmagem, atentem para a soltura do peixe, registrando este momento, lembrando que não é necessário que o peixe seja solto após a captura para valer como recorde, sendo que em algumas espécies é impossível uma soltura após a captura.

Para o envio, também é necessário retirar os 15 metros de linha mais próximos da isca utilizado na captura, sendo enviado o leader/destorcedor juntos, quando houver, estes são usados em especial quando se pleiteia um recorde para uma determinada categoria de linha. O envio da isca utilizada não é necessário, embora seja aconselhável.


O próximo passo é baixar o formulário para solicitação de recorde da IGFA, preenchendo todos os dados (em inglês): informações como equipamentos utilizados, medidas do peixe, dados das testemunhas são solicitados, assim como o número do cartão de crédito (é cobrada uma taxa de US$ 80 para homologação do recorde e mais US$ 5 por certificado adicional desejado), na sequencia, este formulário deve ser assinado e reconhecido firma da assinatura.

Embora não seja obrigatório, é altamente recomendado um relatório descritivo da captura, informando como esta aconteceu, o local, tipo de isca e o tipo de pescaria (arremesso, corrico, etc), quantidade de pessoas que estavam no barco no momento da captura, dados sobre o peixe, enfim, quanto mais dados, melhor.

Como hoje a maioria dos dados são digitais (Fotos, vídeos, etc.), envie junto com o processo um pendrive ou qualquer outra mídia com o máximo de vídeos/fotos da captura, ou mesmo coloque estes na nuvem (ex. dropbox, Gdrive) para que as pessoas que analisarão o processo possam analisar.



Por fim, temos um “dossiê” com: ficha de solicitação do recorde preenchido, assinado e reconhecido firma, relatório descritivo da captura, amostra da linha utilizada na captura, laudo da aferição da balança pelo INMETRO, laudo da espécie capturada, e muitas, muitas fotos e vídeos.

Se não bastassem todos estes passos citados anteriormente, o passo seguinte é o mais angustiante: a espera. O processo demora de 15 a 40 dias para chegar nos Estados Unidos, e após este período, seu recorde é cadastrado no site do IGFA.org ficando como Pendente, que é o tempo para validação dos dados. Este período varia, mas é algo em torno de quatro a cinco meses.

Após, se tudo estiver certo com o processo, o status do seu pedido muda de Pendente para Homologado, sendo enviado para sua casa os certificados, que costuma demorar igualmente de 15 a 40 dias para chegar. Após toda esta maratona, vem a comemoração em dobro, primeiro por ter conseguido tirar das águas um recorde mundial, e segundo, por ter perseverança e não ter desistido no meio do processo para homologação do recorde, o qual é demorado, custoso e muito burocrático.

Texto: Robison Cris Brito atual recordista do recorde mundial da Traíra mais pesada

Nenhum comentário:

Postar um comentário