O baiacu e seu veneno



Todos os anos, cerca de cinco pessoas morrem e muitas outras são internadas por causa do veneno de um dos peixes mais controversos da culinária mundial, o baiacu.




As mortes acontecem porque o peixe (considerado o segundo vertebrado mais venenoso do mundo) pode liberar Tetrodotoxina (uma neurotoxina 1.200 vezes mais mortal que o cianeto).

A substância não é fabricada pelos baiacus, mas por bactérias que ficam alojadas nos peixes. O veneno encontrado em um deles pode ser o suficiente para matar 30 pessoas.


Nos primeiros  instantes após o veneno ser ingerido, os lábios e dedos começam a amortecer e apresentar espasmos (nesse ponto, ainda existe tempo de chegar ao hospital para um internamento emergencial). Depois começa a fraqueza muscular e surtos de diarreia e vômito até que os espasmos começam a ser percebidos também nos pulmões.

Muitas vítimas sofrem parada respiratória enquanto ainda estão conscientes.
A morte vem logo em seguida. Há casos também de "zumbificação" das vítimas.
A Tetrodotoxina pode encontrar em sintonia com outras neurotoxinas e fazer com que o corpo seja completamente paralisado, fazendo com que a pessoa apenas pareça morta. Depois as funções cerebrais voluntárias são retiradas e a pessoa torna-se um cadáver que pode se mexer, mas não sabe o que está fazendo.



No Japão, este peixe é chamado de fugu, e algumas espécies são consideradas por muitos um prato refinado. O que leva a criação destes peixes em gaiolas colocadas no mar.

Os primeiros relatos relacionados ao consumo de “fugu” são do período Meiji (1868-1912), onde apenas chefes de cozinha licenciados tinham permissão de preparar o peixe, sendo necessário remover e separar o fígado onde se encontra o veneno. O veneno é letal com uma dose de um miligrama, e um baiacu adulto contém facilmente trinta vezes esta quantidade.

Ainda hoje chefes de cozinha especializados preparam sushi de baiacu, que normalmente é servido com um suco cítrico e molho de soja.


Alguns apreciadores mais corajosos apreciam o sushi com uma gota da bile proveniente do fígado do peixe, mas somente chefes licenciados podem fazê-lo.

A importância do baiacu é tal que o preço do “fugu” é considerado no Japão um indicador econômico. Um prato de sushi de baiacu custa em torno de 200 dólares.
O baiacu também é consumido na Coréia e outros países do sudoeste asiático.

Comentários