24 de agosto de 2016

Dicas para Pesca de Pacu



Nosso amigo Pescador de Plantão Alesson Bueno




Fisgar um pacu é sempre uma bela pescaria com belas arrancadas, proporcionando ao pescador emoções diferenciadas exigindo habilidade e conhecimento a fim de domina-lo.

Os grandes exemplares podem proporcionar brigas duradouras, dependendo do equipamento utilizado e do tamanho. Por tudo isso, muitos pescadores consideram a melhor das pescarias, sejam em rios, lagos ou pesqueiros. O Pacu é um peixe tropical, razão pela qual é mais fácil fisga-lo na época do verão e calor forte.

No inverno, seu metabolismo diminui consideravelmente, e ele para de circular pelo lago ou rio, permanecendo mais fixo, de forma a reduzir o consumo de energia, deixa de alimentar-se constantemente, passando a viver da gordura acumulada no período propício.

Por isso a sua pesca é mais difícil no período de inverno, quando procura águas mais fundas e mais quentes.

 A Pesca: 

São inúmeras as formas de pescar o Pacu:
Na batida, onde o pescador geralmente usa como isca uma fruta da região, arremessando próximo às árvores frutíferas, fazendo com que a caída imite uma fruta caindo do pé, buscando atrair o peixe.

Na superfície, com ração, ou ração na pinga e boia cevadeira de forma a atrair o cardume, utilizando-se de miçanga ou até mesmo da própria ração no anzol, arremesse no local desejado e aguarde a fisgada. Eu, particularmente, prefiro a pesca de espera, também conhecida como de fundo.


Içando a isca no anzol com chumbada, aguarde bater no fundo e espere a fisgada.
Esta forma se torna mais prazerosa, pois é necessário aguardar o momento em que o peixe passe próximo à isca. Você poderá ficar com a vara na mão ou ainda deixar no descanso, ai é só esperar o peixe beliscar e fazer a fisgada.



Nosso Amigo Pescador de Plantão Moacir Mezadri

Equipamentos:

Para a pesca do Pacu se faz necessário o uso de equipamento mais reforçado com vara de média ação, linha 0,40 ou mesmo superior, anzol nº 11 ou maior. Muitos pescadores preferem a pesca com equipamento mais leve, pois assim podem desfrutar de belas brigas e trabalhar com o conjunto todo, tornando a retirada do peixe uma disputa sem igual.

Muitos pescadores trabalham usando varas finas e pequenas de 16 libras e de ação rápida, linha 0,30 a 0,35, dependendo da marca ou modelo, anzol nº 09. Dê preferência por varas de carbono, pela resistência e flexibilidade.

Não é raro presenciar uma quebra durante a briga, o que dificilmente ocorrerá se estiver utilizando-as. Outra preocupação que o pescador deve ter é adquirir um bom descanso de vara para manter bem fixado no chão. Ao fincar na terra, procure deixar inclinados uns quinze graus para fora da beira, formando um ângulo que lhe proporcionará maior resistência e firmeza.

Recomendo para tanto utilizar um bom empate de aço com girador, já que este peixe tem uma mordida muito forte. Use chumbada pequena ou média, solta na linha acima do empate.


Iscas: 

Este peixe tem hábitos alimentares diversos e o bom pescador sabe a hora de tirar proveito, como por exemplo, perguntando a quem conhece o costume do local, o tipo de isca preferencialmente usada, para garantir resultados satisfatórios.

Já nos pesqueiros, eles comem de tudo, desde frutos, rações e pedaços de peixes, massinhas, salsicha, pão e minhoca. Nos pesqueiros já pude constatar diversos tipos de iscas, desde goiabada, bacon, salsicha, paio, goiaba, coquinho, uva, jenipapo. etc…

Portanto, é sempre bom levar consigo iscas das mais variadas e que sejam fáceis de serem transportadas. Ninguém sabe exatamente qual poderá ser o diferencial no local ou mesmo no dia. Outra característica deste peixe é mudar de hábito de um dia para o outro. Conhecendo o local, use aquela que lhe proporcione melhores resultados.


 

Um comentário:

  1. Gosto muito da pesca do Pacu e piau.aqui no rio Xingu em são Felix do Xingu-PA

    ResponderExcluir