17 de agosto de 2016

Como escolher um bom ponto de Pesca em suas Pescarias




Ao chegar a um pesqueiro, rio ou represa a duvida de onde armar as varas é normal.
Onde será o melhor ponto de pesca?  Onde posso fisgar os peixes?





Para saber e fazer uma boa escolha o fundamental é parar e observar o local.
As dicas neste artigo irão te ajudar a identificar os bons pontos de pesca, mesmo que seja a primeira vez que você esteja pescando em um local.
O principal é ter em mente que tipo de pescaria de peixe você pretende pescar neste ponto.


Tilápias no calor: em dias mais quentes, principalmente no verão, lugares mais sombreados e profundos costumam trazer bons resultados. Com o aquecimento da água, é comum observarmos cardumes próximos à superfície, mas sem se alimentarem.

No frio: para pescar com varas telescópicas num dia com os termômetros em baixa, a dica é procurar a porção do lago em que os raios solares incidam primeiro. Se as margens forem rasas, ainda melhor. A mesma lógica serve para traíras e peixes redondos, esses mais concentrados nas partes centrais dos lagos.

Aeradores: após a abertura do estabelecimento, os aerados são geralmente desligados para não atrapalhar os pescadores. No entanto, nas proximidades ou no “trilho” formado pela oxigenação do aparelho, mesmo sem funcionar, a concentração de várias espécies é grande, configurando um ótimo ponto de pesca. Cachoeiras e quedas d’água atuam de forma semelhante.




Carpa Cabeçuda: além de evitar barulho, ela busca os pontos centrais do lago, o que não significa que fique sempre no fundo. Ela pode se alimentar em diferentes níveis de profundidade, inclusive na superfície, quando pode ser capturada com auxílio de boias inteligentes ou próprias para chuveirinho.

Curvas: não se acomode exatamente nos cantos ou curvas dos lagos, prefira ficar próximo a elas, a pesca é mais produtiva. Quando se pesca nas curvas, os pescadores que estão ao lado encobrem o seu material. O “meião” da extensão das margens também é uma ótima opção, tanto para a pesca com telescópicas ou de arremesso. Você estará na “rota” dos peixes, de frente para o centro do lago.

Lago ou tanque: quando o pesqueiro for formado por lagos, e não tanques, procure pontos em que a profundidade se alterne. Nos locais mais profundos você terá a possibilidade de encontrar cardumes ou exemplares maiores.

Dica: escolha uma vara lisa de aproximadamente 3,6 m, monte a linha com o mesmo comprimento da vara e complete o conjunto. Importante, use uma pequena boia que não consiga suspender o peso da isca (massa). Por quê? Simples, a boia será usada para conhecer a profundidade do local e ajustar a distância entre ela e o anzol e, com um pouco de sorte, para encontrar buracos ou pedras, pontos preferidos dos peixes.

De ladinho: essa é uma ótima dica para ser usada com varas lisas em lagos, nos dias frios, principalmente para a pescaria de tilápias. Use caniço com 2,7 a 3,6 m e, ao invés de posicionar a isca em direção à parte central do lago, faça-o próximo à margem, paralelo ao barranco. A ideia é capturar os peixes que se abrigaram do frio e com o aumento da temperatura, começam a se alimentar no raso. Como a presença do pescador pode afugentá-los, o ideal é usar uma vara relativamente comprida para apresentar a isca com sutileza.


Evite: locais barulhentos ou com sombras passando constantemente sobre a água, como as proximidades de lanchonetes, bares e corredores de passagem. Locais mais tranquilos permitem a aproximação dos peixes. Se a água estiver clara, evite vestimentas contrastantes (como as brancas), assim como ficar em pé na beira do lago, os peixes mais ariscos podem perceber sua presença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário