Para quem não conhece, este é o Black Bass, um peixe voraz e extremamente esportivo.




Predador de água doce, cobiçado e presente em vários países do mundo, o black bass é originário da América do Norte, mais especificamente do Canadá. 

No Brasil, foi introduzido por volta dos anos 60 e habita atualmente várias represas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. 

O comportamento alimentar pode variar com as estações do ano. 
Por isso, o peixe procura sempre habitats diferentes. 

Esta entre os melhores para pesca esportiva. 
Verde-oliva na parte superior, o black bass apresenta uma lista preta na lateral. Na parte inferior, tons entre amarelo bem claro e branco. 

Por ter boca grande, é conhecido nos EUA como largemouth . 
Não possui dentes e agarra suas presas com uma espécie de lixa localizada nas partes superior e inferior da boca. 

Em épocas frias, por exemplo, prefere regiões fundas onde haja uma zona termoclimática mais conveniente, sempre próxima a barrancos, pedras, galhadas ou vegetações aquáticas, aproveitando os esconderijos para surpreender suas presas. 

Quando pequeno, caça em pequenos grupos, mas na medida em que cresce tende a se tornar um caçador solitário em cardumes de no máximo três ou quatro exemplares. 

Só é encontrado aos pares na época do acasalamento, até o momento em que deixa de cuidar dos filhotes.
São carnívoros vorazes e se destacam pelo arranque e agressividade.

Embora prefiram águas límpidas e correntes, podem ser criados em tanques artificiais. 
Atingem maturidade sexual no fim do primeiro ano. 
Suas larvas alimentam-se de plâncton; os alevinos, de insetos e vermes; e os adultos, basicamente de outros peixes. 

As fêmeas fazem posturas forçadas e, dependendo do tamanho, chegam a depositar de 3 a 4 mil e 500 ovos por desova. 
Costumam sair para caçar em horários específicos: de manhã e no final da tarde. 
O horário menos produtivo é o sol quente, quando o peixe procura abrigo, diminuindo a atividade.

Onde encontrar: 
Estão presente em todos os estados da região Sul e Sudeste, menos no 
Espírito Santo. 
Foi introduzido em diversas represas com a finalidade de controlar a proliferação de pirambebas 
(espécie de piranha). 
Como todo predador, esconde-se atrás de troncos, pedras, vegetação, degraus, etc., no intuito de enganar suas presas. 

Dicas para pescá-lo: 
Para melhorar suas chances com os Blacks, use tralha leve. Linhas finas de fluorcarbon e anzóis bem afiados é uma boa pedida. Além de aumentarem a sensibilidade, ajudam muito na fisgada.

Comentários