Aprenda a fazer o Sistema de montagem Texas Rig para a Pesca de Black Bass e Traíras



 
       
Saudações estimados amigos Pescadores de Plantão

Hoje vamos falar de um sistema muito utilizado na pesca dos predadores Black Bass e as Trairás.  Um dos mais antigos e tradicionais sistemas de montagens com a famosa Minhoca artificial também conhecida como Soft, o Texas Rig. 


Espero que esta dica possa ajudar aos amigos a conhecer um pouco sobre o assunto e a montar e utilizar este sistema muito produtivo.
Bom vamos la então amigos, espero que gostem e se puderem compartilhem este artigo e deixem um comentário amigos.




Texas Rig como é montado e trabalhado.

O Texas Rig é o mais antigo e o mais tradicional sistema de montagem, insubstituível para muitos pescadores de Bass e Trairás. Também pudera: é uma montagem razoavelmente fácil de fazer e de trabalhar na água, além de ser infalível para a captura dos “verdinhos e das dentuças”.

O Texas Rig é constituído da seguinte forma: o chumbo, que pode ter peso variado, e deve ficar solto na linha. O anzol utilizado nessa montagem deve possuir a haste no formato Offset, ou seja, possuir curvas próximas à região do olhal para que a isca de silicone possa se encaixar com facilidade e ficar firme no anzol ao mesmo tempo. Quase todas as iscas soft podem ser utilizadas no sistema Texas Rig: minhocas, grubs, salamandras etc.






Esse sistema pode ser trabalhado, principalmente, das duas seguintes maneiras: 


A primeira e mais fácil é basicamente arrastando a isca pelo fundo.

A segunda é arrastando a isca no fundo, com velocidade lenta a moderada (dependendo das condições de pesca e, consequentemente, do comportamento do peixe), intercalando com pequenos toques de ponta de vara para que, assim, a isca dê pequenos saltos no fundo e pareça que está “se alimentando”.

a pegada do peixe pode variar de uma simples tremida na linha a pequenas e sutis mordidas, mas que também o oposto pode acontecer. Em qualquer um dos casos, é importante prestar muita atenção e, ao menor sinal de ataque, fisgar com força, pois se realmente for um peixe com a isca na boca (e não troncos, pedras, algas etc.), a fisgada potente será necessária para que a ponta do anzol perfure a isca soft e a mandíbula do peixe.

O Texas Rig pode sofrer algumas variações. Uma delas, simples de providenciar e que pode tornar a isca bem mais atraente para o peixe, especialmente nos dias em que este está manhoso, consiste em acrescentar ao sistema uma ou duas miçangas de qualquer cor entre o anzol e o chumbo. Quando este bater nas miçangas, provocará um barulho que poderá auxiliar na atração do peixe.




No caso da pesca de traíras com o sistema Texas Rig, é interessante o uso de um leader de cerca de 50 cm, por exemplo. Este poderá ser de linha monofilamento de 0,60 mm, unido com a linha principal por meio de um girador. A utilização de empate de aço não é recomendada, nesse caso, por poder atrapalhar a colocação e o correto trabalho do chumbo na linha.

Para a pesca com o sistema Texas Rig, o seguinte material pode ser utilizado (vale lembrar que não é regra fixa)

Texas Light:
Chumbos entre 1,8 e 5 g, varas de ação rápida de 6’ a 6’6” para linhas de 12-14 lb, linhas entre 6 e 10 lb e anzóis Offset.

Texas Heavy:
Chumbos acima de 7 g, varas de ação rápida de 6’ a 7’ para linhas de 17-25 lb, linhas entre 10 e 25 lb e anzóis Offset.




Dicas: 
Evite trabalhar a isca com a vara muito colada ao corpo ou com a ponta muito para cima. Isso não propiciará um bom ângulo para as fisgadas, que devem ser potentes para ultrapassar a soft e a mandíbula do peixe.

Essências podem ser acrescentadas aos pacotes da minhoca ou diretamente na isca. Minimizam odores transferidos à soft (como o do cigarro, filtro solar ou repelente). Além disso, conferem certa viscosidade às iscas, preservando-as por mais tempo.

Existem no mercado linhas de mono e multifilamento que praticamente ficam invisíveis na água. Pode ser um grande diferencial nos dias em que o peixe estiver manhoso.

Preste atenção na descida da isca. Geralmente, é nesse momento que os ataques acontecem.
É desnecessário executar o trabalho até debaixo do barco, sendo mais produtivo concentrar os esforços nos primeiros metros de declive do barranco, com exceção de pontas, ilhas submersas ou locais mais profundos.

Não misture iscas de cores diferentes em um mesmo pacote ou no mesmo compartimento de sua caixa. Cores mais fortes podem predominar sobre mais claras, manchando-as.

Quando utilizar rattling, seja no chumbo ou na isca, assim como miçangas, realize pequenos toques secos e curtos de ponta de vara ao trabalhar a isca, para que ela apenas trema no mesmo local, fazendo barulho. Esse tipo de trabalho é conhecido nos EUA e Japão como shaking. Abaixo, o passo a passo para a colocação da minhoca artificial no anzol:

Veja a baixo o passo a passo da montagem da minhoca no anzol.




Comentários